Cabeamento Estruturado - Facilidade de Entrada

Até este ponto já analisamos praticamente todos os subsistemas, contudo, restam algumas questões: como o sinal de Internet da operadora chega ao prédio? Se estivermos fazendo o cabeamento de um campus, por onde chegam os cabos dos outros prédios do campus? Esta é a função do último subsistema que iremos analisar: a Facilidade de Entrada.

Figura. 1. Facilidade de entrada fazendo a interconexão de um cabo da da rede externa ao backbone intra-edifício. Fonte: https://bit.ly/3qxOtYT

 

A facilidade de entrada realiza a interface entre o cabeamento externo ao prédio e o intra-edifício e abriga um distribuidor geral de conexões, cabos e hardware de encaminhamento quando houver. O encaminhamento dos cabos pode ser de forma aérea, por meio de postes, subterrânea ou até mesmo de forma enterrada no solo. Para dimensionarmos o espaço da facilidade de entrada, podemos usar a tabela abaixo:

Neste ponto, finalizamos a análise de cada um dos subsistemas de cabeamento. Embora várias normas possam ser aplicadas a um projeto de cabeamento estruturado, nós fizemos aqui um apanhado geral do que elas têm em comum. Porém, para mais aprofundamentos, devemos recorrer às normas.

Referências

FAMÁ, Fernanda Bezerra Gómez. Estudo e Elaboração de Projeto de Cabeamento Estruturado. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia). Universidade Federal de Campina Grande Campina Grande, Brasil. 2017

MARIN, Paulo Sérgio. Cabeamento Estruturado: desvendando cada passo: do projeto à instalação. Ed. Érica, 2009.

PINHEIRO, José. Guia completo de cabeamento de redes. Elsevier Brasil, 2016.

ABNT-NBR-14565:2013. Disponível em: https://mydidata2.s3.amazonaws.com/uploads/2011/07/Redes_NBR14565.pdf

 


Questões